26 de abril – Dia Nacional de Controle da Hipertensão Arterial

2835193235_faa5abc7d7_b

Hipertensão arterial

Hipertensão arterial ou pressão alta é uma doença crônica de múltiplas causas.

A pressão arterial é a pressão do sangue que exerce dentro das artérias mantidas pela força propulsora do coração. É caracterizada por dois valores o máximo (pressão sistólica) e o mínimo (pressão diastólica).

Conforme as diretrizes brasileiras de hipertensão a pressão arterial é considerada normal se a sistólica for menor que 130 mmHg (ou 13cmHg) e diastólica menor que 85 mmHg (ou 8,5 cmHg).

Entretanto há uma tendência á redução desses níveis sendo considerados ótimos os níveis de pressão sistólicas menor que 120mmhg e de pressão diastólica menor que 80 mmHg(8,0cmHg).

A hipertensão é uma doença muito prevalente que atinge cerca de 15 a 20% da população brasileira. Os níveis constantes elevados de pressão arterial vão comprometendo em silêncio órgãos nobres como coração, rins, cérebro e olhos.

O que acontece no organismo de um hipertenso?

As artérias vão progressivamente perdendo elasticidade, ficam mais “endurecidas” e dificulta a passagem do sangue, razão pela qual o coração precisa exercer uma, pressão maior para bombea-ló. As alterações decorrente desse esforço refletem em artérias de outros órgãos como rins, cérebro e retina.

Sintomas:

A maioria as pessoas que tem hipertensão não apresenta sintomas. Quando presentes os mais comuns são tonturas, zumbidos no ouvido e eventualmente sangramento nasal, cefaleia não é um sintoma tão frequente. Outros sintomas como palpitação, dor no peito, falta de ar, inchaço, alterações visuais, perda de memória e de equilíbrio, palidez, problemas urinários e dores nas pernas demonstram que os órgãos alvos da doença podem estar comprometidos. Nesses casos convém procurar um médico imediatamente.

Causas:

Em 90 a 95% dos casos não há causa conhecida para a hipertensão. Mas em alguns casos parecem ter relação com doenças, como as renais e endócrinas, uso de medicações, uso de drogas, obesidade, alimentação com excesso de sal, ingestão de bebida alcoólica e outros.

É importante lembrar que a pressão arterial varia nas 24 horas do dia e pode ser influenciada pelo estado psicológico ou emocional da pessoa, hábito e atividade cotidiana.

Diagnostico:

O diagnostico é baseado na verificação da pressão arterial. Outros recursos utilizados seria o teste ergométrico ou teste de esforço, assim como a monitorização ambulatorial da pressão arterial (mapa).

Tratamento:

Para algumas pessoas uma dieta com menos sal, menos calórica, evitar o cigarro, ingerir menos álcool, realizar atividade física, e perder peso, são suficientes para controlar a pressão.

Outros casos, porém necessitam de uso regular de medicamento estabelecido pelo médico.

Importância de controlar a hipertensão:

A hipertensão arterial reduz a expectativa de vida do paciente, a mesma é responsável por 40% das mortes por acidente vascular cerebral e 25% dos infartos agudo do miocárdio, como também alterações renais e oculares.

Prevenção:

Levar uma vida saudável, manter o peso adequado, não ingerir bebidas alcoólicas, fazer exercícios, não fumar, e adotar dieta balanceada com consumo reduzido de sal, são atitudes preventivas. Também é recomendável que toda pessoa com mais de 40 anos faça medidas periódicas da pressão arterial, principalmente as pessoas que apresentam histórico de pressão alta na família.

Fonte: SaudeGéia.com.br

Mudanças de temperatura podem aumentar o risco de doenças respiratórias

Após o calor do verão, chega o outono, a temperatura cai, e as chuvas acontecem em menor quantidade. Por causa disso, o organismo pede cuidados especiais já que essas mudanças climáticas prejudicam a dispersão da poluição, esta responsável por doenças respiratórias. As temperaturas mais baixas fazem as pessoas usarem roupas mais quentes, que estavam guardadas há meses o que facilita a proliferação de Ácaros e Fungos.

Estima-se que 30% da população no Brasil apresentam problemas respiratórios relacionados às questões descritas acima.

A Asma, assim como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, são doenças inflamatórias que apresentam relação direta com a piora da qualidade do ar.

A Gripe, Resfriado, e Pneumonia são doenças infecto contagiosas favorecidas pelo fato das pessoas permanecerem com maior frequência em ambientes fechados devido ao frio, e pela baixa umidade do ar.

A Rinite Alérgica, assim como a Sinusite são processos favorecidos pela baixa temperatura, baixa umidade, e poluição.

O que devemos fazer nas estações do ano mais frias, para prevenir os problemas respiratórios?

  • Aumentar a ingestão de água;
  • Procure permanecer em locais abertos;
  • Umedecer o ambiente fechado através de umidificador de ar;
  • Utilizar puffs de solução salina para o nariz, principalmente em dias mais frios e secos;
Fonte: SBTP