PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA

Unimed-Londrina-apoia-Outubro-Rosa-1O câncer de mama é uma doença genética ou seja é necessária uma alteração no(s) gene(s). No entanto, vários outros fatores estão envolvidos, alguns que não podem ser modificados e outros que você pode modificar, diminuindo assim o seu risco de desenvolver a doença.

Câncer de Mama – Fatores de risco que você pode controlar

Peso: o aumento do peso esta associado a um maior risco de câncer de mama, sobretudo em pacientes após a menopausa. Quando a mulher entra na menopausa os ovários param de produzir o principal hormônio envolvido no desenvolvimento do câncer de mama, o estrogênio. Este hormônio passa a ser produzido na gordura, portanto quanto maior a quantidade de gordura maior a quantidade de estrogênio e consequentemente maior o risco de câncer de mama. Para calcular seu peso ideal, faça o seguinte cálculo: divida seu peso pela altura ao quadrado, o ideal é que este número esteja situado entre 20 e 25. Se maior que 25 é sobrepeso e se maior que 30 já classificamos como obesidade.

Alimentação: existem vários alimentos que provavelmente aumentam o risco de vários tipos de câncer, inclusive câncer de mama. É recomendável evitar completamente a ingestão de carne vermelha, queijos “gordos”, açúcar, alimentos que contenha açúcar, arroz branco, pão branco, enlatados, alimentos embutidos e processados. É recomendável a ingestão de cinco porções de frutas por dia, carnes brancas (preferência galinha caipira sem pele, peixes, sobretudo sardinha, salmão e cavala que são ricos em ômega 3), frutas, verduras, legumes, arroz integral, pão integral, cereais, derivados da soja. Dê sempre preferência a alimentos orgânicos, quando possível. Se não conseguir ficar sem os adoçantes, prefira os à base de esteviosídeo.

Atividade física: existem evidências científicas que a atividade física diminui o risco de câncer, incluindo o câncer de mama. A recomendação atual é exercício moderado a intenso pelo menos 5 vezes por semana por cerca de uma hora. A associação de exercícios aeróbicos e de musculação é o ideal e de preferência sob supervisão de um profissional de educação física.

Consumo de álcool: o consumo de álcool esta associado ao aumento de vários cânceres como os de cabeça e pescoço e ao câncer de mama. Um dos mecanismos da ação do álcool seria a alteração do metabolismo do estrogênio no fígado. Tabagismo: o ato de fumar é a principal causa evitável de câncer. Se você fuma procure imediatamente ajuda médica,pois hoje dispomos de medicamentos que aumentam a chance de você parar de fumar. Além do aumento do risco de câncer de mama, o fumo aumento o risco de vários tipos de tumores incluindo câncer de pulmão. Cabeça e pescoço, bexiga, colo do útero e pâncreas. Há um aumento do risco de infarto do miocárdio e das doenças do pulmão. (bronquites).

Fonte: Sociedade Brasileira de Mastologia

DIREITOS DO PACIENTE COM CÂNCER

ArquivoExibir.aspxMedicamentos ligados direto ou indiretamente ao tratamento do câncer são assegurados aos pacientes pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Exames: O paciente com câncer tem o direito de ser diagnosticado em tempo de ser tratado. Por isso todo aparato tecnológico deve estar disponível na rede (publica ou privada) de atendimento hospitalar.

Benefícios: FGTS, PIS/PASEP, livre circulação de veículos, Quitação de financiamento da casa própria, transporte público gratuito, resgate de previdência privada seguro de vida, tratamento fora de domicílio com concessão de transporte alimentação e acomodação, benefício de prestação continuada da assistência social. Assistência permanente por invalidez.

Prioridades: Prioridade no atendimento da ação judicial, Prioridade de atendimento em estabelecimento comerciais.

Isenções: Compra de veículo adaptados ou especiais, isenção dos impostos, ICMS, IOF, IPI, IPVA, IPTU, imposto de renda na aposentadoria, Imposto de renda deduções.

Aposentadoria: Auxilio – doença, aposentadoria por invalidez, serviço de reabilitação pela previdência social, servidores públicos, acesso as informações, documentos importantes, sigilo.

Fonte: Livro “VENCER O CÂNCER” (Fernando Cotait Maluf)

29/09 – DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO

My-Heart-ipad-4-wallpaper-ilikewallpaper_com_1024

As doenças cardiovasculares são uma das maiores causas de morte no mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 17,1 milhões de pessoas são acometidas por este mal. Só no Brasil morrem, anualmente, mais de 300 mil pessoas, de acordo com pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Por ser a mais prevalente, a hipertensão arterial é o principal vilão, responsável direto por milhares de mortes atribuídas às doenças cardíacas. Quando não controlada, isto é, quando acima de 140 / 90 mmHg, a pressão arterial causa lesões na aorta, o vaso principal que conecta o coração com os principais órgãos, que produzem uma sobrecarga extra para o coração, que fica com o músculo mais rígido e com o tempo aumenta de tamanho e dilata, isto é, fica inchado. Em consequência, o paciente tem insuficiência cardíaca, apresentando sintomas como falta de ar para fazer esforços e inchaço nas pernas.

A pressão muito alta também dificulta a circulação de sangue pelas artérias coronárias, que são as artérias que nutrem o coração, podendo levar ao infarto. Assim, uma das melhores maneiras de prevenir doenças cardíacas, além de diminuir o peso e parar de fumar, é controlar muito bem a pressão arterial. Para conseguir este controle é preciso fazer uma dieta com pouco sal, praticar exercícios físicos controlados, e principalmente tomar corretamente a medicação para diminuir a pressão arterial conforme o médico prescrever.

O Dia Mundial do Coração 2014, a Federação Mundial do Coração alerta:

“Frequentemente, a sociedade “culpa” o indivíduo por ter doenças cardiovasculares, – você fuma, come e bebe demasiado, não faz exercício! Mas os ambientes onde nós vivemos, trabalhamos e brincamos podem ter um enorme peso na nossa capacidade de tomar as melhores decisões para a saúde do nosso coração – especialmente em ambientes cada vez mais urbanos, que têm mudado os nossos estilos de vida e dietas”.

“Todas as pessoas têm o direito a fazer escolhas saudáveis para o seu coração, independentemente do local onde vivem, trabalham e brincam. Mas todos necessitamos de agir de forma a que tal seja um realidade nas nossas casas, nas nossas comunidades”.

Fatores de Risco

Colesterol alto – É assintomático e detectado somente através de exames de sangue. O excesso de colesterol é perigoso, porque ele é depositado na parede das artérias, provocando a formação de placas gordurosas. Com o tempo, essas placas obstruem os vasos sanguíneos e impedem a circulação do sangue. Pode acarretar várias doenças, infarto, derrame e problemas de circulação.

Tabagismo – O cigarro contém cerca de quatro mil substâncias tóxicas para o organismo. Entre elas, estão o alcatrão e a nicotina, responsáveis pelo vício. O fumo provoca lesões na superfície dos vasos sanguíneos, favorecendo a entrada e o acúmulo do colesterol nas artérias coronárias. Está relacionado ao surgimento e/ou complicação de todas as doenças cardiovasculares. Pode ainda provocar diversos tipos de câncer.

Pressão alta – Também chamada de hipertensão arterial. É um dos grandes vilões das doenças cardiovasculares, chamada de “assassino silencioso”, porque raramente provoca sintomas. A hipertensão caracteriza-se pelo bombeamento de sangue a uma pressão superior àquela encontrada na maioria das pessoas, de até 140/90 mmHg (milímetros de mercúrio, unidade usada para medir a pressão). Pessoas com pressão arterial acima de 140/90 mmHg correm mais risco de ter problemas no coração, cérebro e nos rins. A ação da pressão alta nos vasos sanguíneos é semelhante a do cigarro, isto é, provoca lesões e favorece o acúmulo de colesterol. A hipertensão afeta cerca de 20% da população brasileira e seus efeitos tendem a ser mais sérios em pessoas da raça negra.

Obesidade e sedentarismo – Pessoas com excesso de peso tendem a ter altas taxas de colesterol no sangue e predisposição a diabetes. Da mesma forma, quem não faz nenhuma atividade física corre mais risco de enfrentar problemas de pressão e colesterol altos. Além disso, os exercícios melhoram o condicionamento físico, a resistência, o humor e a qualidade de vida em geral.

História familiar – O aparecimento de doenças cardiovasculares tem um componente genético. Quem possui parentes de 1º grau (pais e/ou irmãos) que desenvolveram o problema antes dos 50 anos (no caso dos homens) e antes dos 60 anos (no caso das mulheres) tem mais chances de também sofrer do coração. “Os hormônios estrógeno e progesterona são uma proteção natural para o sistema cardiovascular feminino. Por isso, essas doenças tendem a se manifestar mais tarde nas mulheres”.

Sintomas

Cansaço aumentado, falta de ar, respiração curta, palpitações incômodas, dores no peito, dores nas pernas ao andar, inchaço no rosto e nas pernas, machucados que demoram a cicatrizar. Ao notar o aparecimento de algum desses sintomas, o melhor é procurar auxílio médico. Em alguns casos, as doenças cardiovasculares não apresentam sintomas. Por isso, é importante prevenir-se, visitando o médico regularmente.

A melhor maneira de prevenir ou adiar ao máximo problemas cardiovasculares é levar uma vida saudável que inclui boa alimentação, prática de exercícios físicos, visitas regulares ao cardiologista, entre outras coisas.

• Tenha uma alimentação saudável, abuse de frutas, legumes e vegetais.

• Pratique ao menos 30 minutos de atividade física ao dia, todos os dias da semana. Isso fará seu coração feliz e saudável.

• Fique longe do cigarro. O risco para doenças cardíacas diminui pela metade em um ano.

• Mantenha seu peso saudável: a obesidade é fator de risco para derrame cerebral e infarto do miocárdio, além de colaborar para o aumento da pressão arterial.

• Consulte um cardiologista e faça exames regularmente. Isso vai ajudar no desenvolvimento de um plano para melhorar sua saúde cardíaca.

• Cuidado com a ingestão de álcool. O excesso pode causar aumento de peso e da pressão arterial.

Reserve um tempo para experimentar pequenos prazeres. Programe passeios e atividades de acordo com o seu gosto.

Fonte: EINSTEIN, SBH, BOA SAÚDE e JUST NEWS.

27/09 – Dia Nacional da Doação de órgão


Dia-Nacional-de-Doação-de-Órgãos

De cada 8 potenciais doadores de órgão apenas 1 são notificados. Assim o Brasil é o segundo país do mundo em números de transplante realizados por ano.

O resultado positivo é devido principalmente a 2 fatores:

• O programa nacional de transplante;

• E o credenciamento na equipe de transplante do ministério da saúde;

Considera-se como potencial doador, todo paciente em morte encefálica definida pela resolução CFM 1480/97. Um termo de declaração de morte encefálica. Que descreve todos os elementos do exame neurológico que demonstrem ausência de reflexos de tronco cerebral.

E também doador vivo maior de 21 anos e que concorde com a doação. Só podem doar em condições especiais após liberação judicial conforme dita a lei 10211.

A legislação brasileira sobre o processo doação transplante estabelece que sejam todos doadores de órgãos desde que após a nossa morte um familiar (até segundo-grau de parentesco) autorize, por escrito, a retirada dos órgãos. Portanto, não basta você querer ser um doador de órgãos. Sua família também precisa saber. São eles que vão autorizar os médicos a fazer o transplante da sua vida para outras vidas. Diga em casa, aos seus amigos, diga para todo mundo que você quer ser um doador.

Qualquer pessoa pode doar órgãos. Nenhuma religião é contra a doação. Pelo contrário, toda religião apoia o amor aos outros, que inclui o ato de doar-se. Para um transplante de órgãos, só importa a compatibilidade entre você e as várias pessoas que esperam um coração, um pulmão, um rim, uma Córnea, um fígado uma vida.

21/09: Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência

 

20140921

Segundo dados do Censo 2010, no Brasil há mais de 45,6 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, quase um quarto da população. Mais surpreendente que as estatísticas é o fato de ainda constatarmos um número exíguo de pessoas com deficiência nas ruas, escolas, ambientes de trabalho, espaços públicos ou ocupando cargos políticos.

Os direitos das pessoas com deficiência estão garantidos pela Constituição Federal de 1988 e por uma das legislações mais avançadas do mundo. Há também diversos programas para a promoção do acesso a saúde, educação, formação e trabalho. Mas a realidade ainda está bem distante do papel.

Uma pesquisa feita em 2010 pelo Data Senado com 10.273 cidadãos mostrou que estamos avançando, mas ainda temos muito a conquistar. Mediante a pergunta “Você acredita que as pessoas com deficiência têm seus direitos respeitados no Brasil?”, 77% responderam que “não”.

Além de maior amparo do Estado, há ainda que se lutar contra o preconceito. Ainda hoje, alguns pais e mães não acolhem a presença de crianças com deficiência nas escolas, convivendo com seus filhos. Ao mesmo tempo, empresas alegam que não contratam pessoas com deficiência por não estarem preparadas – mas também não estão dispostas a investir na adaptação e formação necessárias para recebê-las.

O Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, celebrado em 21 de setembro, serve como momento de reflexão, fortalecimento e divulgação dessa importante luta por maior inclusão social. Veja como os voluntários do PEB podem ajudar a despertar essa consciência entre os alunos e as comunidades das escolas parceiras:

1. CIDADE PARA TODOS
Os alunos vão levantar as condições de acessibilidade dentro e nos arredores da escola, tendo em vista o atendimento às necessidades de alunos com deficiência ou moradores da comunidade. Para isso, eles seguirão um roteiro de observação, realizarão entrevistas e farão o registro de suas pesquisas em fotos para posterior compartilhamento.

2. GALERIA DE ATLETAS PARAOLÍMPICOS
A partir de pesquisa feita pelos alunos, será organizada uma galeria de atletas paraolímpicos brasileiros, contando suas histórias de superação e esforço individual. Dessa forma, vamos mostrar como essas pessoas se tornaram vitoriosas, à revelia das condições desfavoráveis.

Beneficiários de planos de saúde crescem em junho, diz IESS

planos-de-saúde
Cartões de planos de saúde: planos individuais tiveram alta de 2,7% na comparação anual

São Paulo – As operadoras de saúde brasileiras encerraram o primeiro semestre de 2014 com um total de 50,9 milhões de beneficiários de planos médico-hospitalares, o que representa um aumento de 3,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Os dados são de levantamento do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) com base nas informações atualizadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Apenas durante o segundo trimestre deste ano, foram 255,87 mil novas adesões a planos de saúde. O número representa elevação de 0,5% na comparação com o trimestre anterior.

O crescimento foi impulsionado pela contratação de planos coletivos empresariais, que subiu 4,5% em um ano, chegando a um total de 33,4 milhão de beneficiários em junho.

Já os planos individuais tiveram alta de 2,7% na comparação anual, encerrando o primeiro semestre com 10,2 milhões de beneficiários. Os planos coletivos por adesão registraram uma alta de 3,1%, chegando a 6,7 milhões de vínculos.

O total de beneficiários de planos exclusivamente odontológicos cresceu 1,63 milhão entre junho de 2013 e o mesmo mês de 2014, um crescimento de 8,4%. Com o resultado, o segmento alcançou a marca de 21,1 milhões de beneficiários.

Fonte: Exame.com.br

Oito benefícios do sexo para a saúde

No Dia do Sexo (6 de Setembro), todo mundo lembra o quanto ele é bom para a saúde. O orgasmo, por exemplo, é uma das sensações mais íntimas e deliciosas para homens e mulheres e é muito mais do que sinal do sucesso de uma relação sexual. A cada dia, os cientistas descobrem novos efeitos desta reação orgânica que, além de melhorar as emoções, faz muito pela sua saúde. “O orgasmo contribui para que homens e mulheres vivam com mais qualidade, trata-se de um momento de prazer que reverbera por vários dias”, afirma o ginecologista Neucenir Gallani, da clínica SYMCO.

Porém, apesar de proporcionar prazer e qualidade de vida, uma pesquisa feita pela Universidade de São Paulo (USP) revelou que 70 % dos brasileiros fazem menos sexo do que declaram em conversas e pesquisas públicas. Por isso, o Minha Vida estimula você a melhorar essa situação trazendo o que a ciência e os especialistas andam dizendo por aí sobre os benefícios que uma vida sexual ativa trazem ao corpo. Confira:

Alivia as crises de enxaqueca
Quando seu parceiro reclamar, dizendo que não quer sexo porque está com dor de cabeça, reverta a desculpa a favor da saúde dele. Segundo o médico Neucenir Gallani, o orgasmo libera substâncias, como as endorfinas, que atuam no sistema nervoso. “Elas diminuem a sensibilidade à dor, relaxando a musculatura e melhorando o humor”, afirma.

Melhora o aspecto da pele
Fazer sexo, principalmente no período da manhã, é um poderoso aliado da beleza para manter a juventude. Essa foi a conclusão de um estudo, realizado por cientistas da Universidade Queens (Reino Unido). De acordo com os pesquisadores, atingir o orgasmo aumenta os níveis de estrogênio, testosterona e de outros hormônios ligados ao brilho e a textura da pele e dos cabelos. Além disso, quando há o orgasmo, ocorre uma vasodilatação superficial dos vasos, até aumentando a temperatura em algumas pessoas. Com isso, a pele ganha uma aparência mais viçosa, e o brilho natural dela fica em destaque.

Alivia as cólicas da TPM
O ginecologista Neucenir Gallani faz questão de reforçar que isso não é uma regra, mas acontece com algumas mulheres. Os movimentos realizados durante o sexo estimulam os órgãos internos, que ficam mais relaxados e, com isso, há diminuição das dores que incomodam seu bem-estar nos dias antes da menstruação. “Mas há mulheres que, na fase pré-menstrual, não têm disposição para o sexo e forçar a barra pode ser pior”, diz o ginecologista.

Melhora o sono
O relaxamento que o orgasmo traz contribui para que você durma melhor, e não apenas no dias em que houver sexo. A reação tem efeito prolongado, devido a ação dos neurotransmissores que passam a agir no seu organismo com mais regularidade e numa quantidade maior.

Diminui o estresse
O médico faz questão de ressaltar que o orgasmo não deve ser encarado como um remédio calmante, mas como parte de uma relação afetiva que traz prazer. Quando isso acontece, os níveis de estresse tendem a diminuir não só pela estabilidade emocional, mas também porque os chamados hormônios do estresse, como o cortisol, apresentam atividade reduzida. Quem trouxe essa novidade foi um estudo escocês recém-publicado na revista Biological Psychology.

Diminui os riscos de infarto
Um estudo da Universidade de Bristol, na Grã-Bretanha, realizado com mais de 3 mil homens de 45 a 59 anos, concluiu, após 20 anos, que o sexo frequente pode reduzir o risco de infartos fatais e de derrames. De acordo com as conclusões da pesquisa, a morte súbita causada por problemas de coração é mais comum entre homens que afirmam ter níveis baixos ou moderados de atividade sexual.

Queima calorias
Segundo a Associação Americana de Educadores e Terapeutas Sexuais, a atividade sexual pode ser um ótimo exercício para o corpo. Isso porque meia hora de sexo queimam, em média, 85 calorias. Portanto, se você está sem paciência para ir à academia, que tal optar pelo plano B?

Aumenta a imunidade
Um estudo feito pela Wilkes University, nos Estados Unidos, mostrou que uma vida sexual ativa aumenta os níveis de um anticorpo conhecido como IgA , responsável pela proteção do organismo de infecções, gripes e resfriados.

Fonte: www.g1.globo.com/ciencia-e-saude