1 a 7 de agosto – Semana Mundial da Amamentação

c0544b1025425c88766a670ca95bcdd1

A amamentação é essencial na vida do bebê desde o nascimento ate pelo menos os 06 meses de vida. O leite materno que na primeira semana tem aspecto mais aguado (cor clara) e não muito espesso se dá o nome de colostro. O colostro tem todas as vitaminas necessárias para a primeira semana de vida do recém-nascido, é como se fosse uma “vacina” natural para o desenvolvimento do seu bebê.

Além de ser importante para a alimentação e ganho de peso, a amamentação ajuda em alguns estímulos que vão refletir para a vida futura da criança e a falta dela pode ser prejudicial para o seu crescimento e desenvolvimento cognitivo.

O bebê que é amamentado durante os primeiros 06 meses de vida ou mais tem benefícios importantíssimos, como:

  • Ao sugar a mama estimula o crescimento e força adequada da mandíbula;
  • Ao mamar a criança aprende a respirar, mastigar e deglutir de maneira adequada;
  • Toda a musculatura facial é fortalecida durante os intervalos da sucção;
  • Promove o vinculo afetivo entre mãe e bebê;
  • Previne obesidade e desnutrição;
  • A sucção promove o desenvolvimento da arcada dentaria;
  • Ajuda no desenvolvimento da fala.

Mas para ocorrer o sucesso na amamentação é preciso salientar a pega correta da criança ao seio materno, e se a sucção se encontra eficaz!

Como saber?

  • O queixo toca a mama;
  • Boca bem aberta;
  • Lábio inferior voltado para fora;
  • Sobra mais aréola acima da boca do bebê;
  • Bochecha do bebê arredonda;
  • Barriga do bebê encostada na barriga da mãe.

A amamentação é essencial para a vida do bebê, então não deixe de amamentar!

08 de agosto – Dia Nacional de Combate ao Colesterol

colesterol-alto-1439054344

O colesterol é uma das doenças crônicas que mais afeta as pessoas e não tem idade para acontecer, é uma doença silenciosa, não reflete sintomas específicos, por isso é importante fazer exames periódicos para saber o valor do colesterol. Existem dois tipos de colesterol, o HDL mais conhecido como colesterol bom, e o LDL conhecido como o colesterol ruim. São necessários esses dois tipos de colesterol no nosso organismo, mas precisa haver um equilíbrio, pois cada um tem sua função.

A função do LDL é ajudar no funcionamento das gorduras no organismo, auxiliando na produção de alguns hormônios e vitamina D. Porém em excesso pode fazer as gorduras se alojarem nas paredes das artérias, desencadeando o “colesterol alto” e podem trazer danos graves à saúde, como infarto e AVC.

O HDL tem a função de remover o colesterol (gordura) das paredes das artérias, as enviando de volta ao fígado para serem excretadas.

Existem também os triglicerídeos que são a forma de gordura mais comum do nosso corpo, ele está presente em nossa dieta quando ela é rica em carboidrato, tais como, pães, massas, biscoitos, sorvetes e doces. Porém também é produzido pelo nosso próprio organismo, o fígado. A função dos triglicerídeos é reservar energia para os momentos de jejum prolongado ou alimentação insuficiente.

Seguem alguns alimentos que aumentam o colesterol:

  • Alimentos industrializados;
  • Fast food;
  • Carnes gordas e com gordura aparente, pele de aves;
  • Frios e embutidos (mortadela, presunto, salame, salsicha, linguiça, etc.);
  • Leites integrais e derivados (iogurte integral, manteiga, creme de leite, queijos cremosos e amarelos);
  • Sorvetes de massa, chocolates, doces com coco, chocolate ou chantilly, milk-shake, cremes para sobremesa.

Para maior conhecimento, seguem os valores de referência para controle da dislipidemia:

tabela

Zika Vírus

O Zika vírus é uma infecção causada pelo vírus ZIKV, transmitida pelo mosquito Aeds Aegipty, mesmo transmissor da dengue e da febre chikungunya. A transmissão do ZIKV raramente acontece em temperaturas abaixo de 16° sendo que a mais propicia gira em torno de 30° a 32°, pois eles se desenvolvem em lugares tropicais. A fêmea deposita seus ovos em lugares quentes e úmidos, e em 48 horas o embrião se desenvolve. Para passar da fase do ovo ate a fase adulta, o inseto demora em torno de 10 dias.
Um costume do mosquito é picar nas primeiras horas da manhã e nas ultimas da tarde, evitando o sol forte. No entanto ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. É importante saber que o individuo não percebe a picada, pois não dói e nem coça no momento. E por ser um mosquito que voa baixo, até dois metros, é comum picar os membros inferiores (Joelho, panturrilha e pé).

Sintomas

  • Febre baixa entre 37,8 e 38,5 graus;
  • Dor nas articulações(artralgia), mais frequentemente nas articulações das mãos e pés, com possível inchaço;
  • Dor muscular (mialgia);
  • Cefaléia (Dor de cabeça) atrás dos olhos;
  • Erupções cutâneas acompanhadas de coceira
  • Conjuntivite, é um quadro de vermelhidão e edema (inchaço) nos olhos, mas não ocorre secreção.

Tratamento

Não há um tratamento especifico, e sim medicações para o alivio dos sintomas. Existem dois tipos de medicamentos muito recomendados, os analgésicos e antitérmicos, que tem grande ajuda nesse processo, além da ingestão de líquidos para evitar a desidratação. O melhor e único tipo de prevenção é evitando o acumulo de água parada em vasos de plantas, calhas, pneus, entre outros objetos que possam proporcionar a oportunidade do mosquito depositar seus ovos e continuar a infectar a população.

Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais

A hepatite é uma inflamação no fígado que pode alterar o seu funcionamento, colaborando para o aparecimento de cirrose, câncer e outras doenças. Existem várias formas de hepatites. As mais comuns são as virais que, como o próprio nome sugere, são causadas por vírus. A hepatite também pode ser provocada por agentes tóxicos, como drogas, medicação e outras substâncias químicas. As hepatites virais são classificadas em A, B, C, D e E.

A hepatite A é uma inflamação do fígado causada por um vírus, geralmente tem um curso benigno, evoluindo para a cura espontânea em mais de 90% dos casos. Existe também a Hepatite E, que assim como a hepatite A, a transmissão, ocorre quando o vírus é ingerido pela boca, a partir do contato com objetos, alimentos ou líquidos contaminados por fezes de pessoa infectada.

Diferentemente das hepatites A e E, as Hepatites B, C e D, são doenças infecto contagiosas, transmissíveis ao contato com sangue de pessoas infectadas.

Já as Hepatites B e D, além de serem transmitidas pelo sangue de pessoas infectadas, também estão presentes nos fluídos corporais, como sêmen e secreção vaginal.

É importante salientar que a hepatite B pode ocorrer via transplacentária (durante a gravidez, da mãe para o feto e após o parto).

Vale lembrar que a Hepatite D é uma forma de hepatite viral, que se manifesta somente na presença do vírus da hepatite B, por co-infecção. Esta infecção conjunta é precursora da cirrose hepática.

Sinais e sintomas:

• Febre;
• Astenia (fraqueza);
• Mal-estar;
• Dor abdominal;
• Náuseas;
• Vômitos;
• Inapetência (perda de apetite);
• Colúria (urina cor de café);
• Icterícia (olhos e pele amarelados);
• Fezes esbranquiçadas.

Tratamento

Não existe um tratamento específico, porém, o mais aconselhável é repousar, evitar bebidas alcoólicas e a ingestão de alimentos muito gordurosos. Caso haja um dano maior do fígado, o médico irá avaliar e indicar tratamento medicamentoso, internação, ou até mesmo um transplante em casos mais graves.

Febre Chikungunya

A Febre chikungunya é parecida com a dengue, porém com suas particularidades, é causada pelo vírus CHIKV, e é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, e menos comumente pelo mosquito Aedes Albopictus, pois ele se da em áreas rurais e se alimenta de sangue animal, sua preferência não é por sangue humano.
A maioria das infecções acontece na gravidez e não resulta na transmissão do vírus pelo feto.
Aqueles infectados durante o período intra parto podem desenvolver alguma doença neurológica, doenças hemorrágicas e doença no miocárdio.

Sintomas da doença:

  • Dor nas articulações;
  • Dor nas costas;
  • Dor de cabeça.
  • Erupções cutâneas;
  • Fadiga;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Mialgias (dor muscular).

Os sintomas desta doença são graves e debilitantes, afetando principalmente pés e mãos, por serem atingidas as articulações e ate mesmo tendões, mas as pernas e costas também podem estar envolvidas.

Tratamento

Ate o momento não há tratamento especifico para esta doença, porem a algumas recomendações para alívio dos sintomas, como:

  • Repouso absoluto;
  • Analgésicos;
  • Antitérmicos;
  • Ingestão de líquidos para evitar a desidratação.

Em alguns casos será necessária á internação para hidratação venosa, nos casos mais graves, tratamento em unidade de terapia intensiva.
Como na dengue os pacientes devem evitar o consumo de medicamentos à base de ácido acetilsalicílico (aspirina AAS).

Prevenção
A mesma serve para a dengue e zika vírus. Evite o acúmulo de água parada, isso é criadouro para o mosquito Aedes Aegypti, eliminando os criadouros nos eliminamos o foco, e o mosquito não dera onde deixar seus ovos.
Fiquem atentos a pneus, pratos de plantas, calhas, entre outros objetos que pode acumular água!

SE CUIDEM!

Dengue

Trata-se de uma doença infecciosa febril causada através da picada de mosquitos infectados do gênero Aedes, sendo as principais espécies:

  • Aedes aegypti;
  • Aedes albopictus;
  • Aedes scutellaris;
  • Aedes africanus (Theobald);
  • Aedes luteocephalus (Newstead).

A dengue clássica é a forma mais leve da doença, sendo muitas vezes confundida com a gripe, devido aos sintomas serem semelhantes conforme descrito abaixo:

  • Febre alta (39° a 40°C);
  • Cefaléia (Dor de cabeça);
  • Cansaço;
  • Mialgia (Dor muscular) e Artralgia (Dor nas articulações);
  • Indisposição;
  • Náuseas/êmese (Vômitos);

Esses sintomas têm início súbito e podem durar de cinco a sete dias.
Na dengue hemorrágica além dos mesmos sintomas da dengue clássica, o paciente sofre uma queda na pressão arterial devido à perda de volume sanguíneo, levando aos seguintes sintomas adicionais:

  • Tonturas,
  • Palidez cutânea;
  • Dispinéia (Dificuldade respiratória);
  • Perda de consciência.

A síndrome de choque da dengue é a complicação mais séria e está relacionada diretamente a dengue hemorrágica. Uma pessoa que sofreu choque por conta da dengue pode apresentar complicações neurológicas e cardiorrespiratórias, além de insuficiência hepática, hemorragia digestiva e derrame pleural.

Tratamento
O tratamento indicado para dengue consiste no alívio dos sintomas com o uso de analgésicos/antitérmicos, para controlar a febre e diminuir as dores no corpo. Em casos de Dengue Hemorrágica, em alguns casos, faz-se necessária a transfusão de sangue ou plaquetas, de acordo com o quadro clínico apresentado. Vale ressaltar que durante o tratamento não se deve usar medicamentos que contenham em sua composição o ácido acetilsalicílico, como por exemplo a Aspirina, pois aumenta o risco de hemorragias e sangramentos. Além disso, é recomendado ficar em repouso e ingerir muita água, para que o organismo combata o vírus.
Prevenção
O mosquito Aedes aegypti é o principal transmissor do vírus e suas larvas nascem e se criam em água parada e limpa. Por isso, evitar esses focos da reprodução é a melhor forma de prevenir a dengue!

Evite o acúmulo de água;

Coloque areia nos vasos de plantas;

FIQUEM ATENTOS!