Dia Mundial do Meio Ambiente

terra-com-mãos

No dia 05 de junho comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente!

Esta data foi estabelecida pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 15 de dezembro de 1972, durante a Conferência de Estocolmo, que tratou do tema Ambiente. Foi durante esta conferência que foi aprovada também o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.

Meio ambiente é um conjunto de unidades ecológicas que funcionam como um sistema natural, e incluem toda a vegetação, animais, microorganismos, solo, rochas, atmosfera e fenômenos naturais que podem ocorrer em seus limites. Meio ambiente também compreende recursos e fenômenos físicos como ar, água e clima, assim como energia, radiação, descarga elétrica, e magnetismo.

A preservação do meio ambiente depende muito da sensibilização dos indivíduos de uma sociedade. A cidadania deve contemplar atividades e noções que contribuem para a prosperidade do meio ambiente. Desta forma, é importante saber instruir os cidadãos de várias idades, através de formação nas escolas e em outros locais.

Preservar o meio ambiente é muito importante para que

A sustentabilidade ambiental e ecológica é a manutenção do meio ambiente do planeta Terra, é manter a qualidade de vida, manter o meio ambiente em harmonia com as pessoas. É cuidar para não poluir a água, separar o lixo, evitar desastres ecológicos, como queimadas, desmatamentos. O próprio conceito de sustentabilidade é para longo prazo, significa cuidar de todo o sistema, para que as gerações futuras possam aproveitar.

É importante que a sustentabilidade do meio ambiente seja cada vez uma prioridade para os políticos no poder, para que a conservação do meio ambiente possa ser alcançada.

Vamos fazer a nossa parte!

São simples atos que se praticados diariamente podemos minimizar muitos danos, como por exemplo:

  • Economizar água
  • Economize energia elétrica
  • Separar o lixo orgânico do lixo reciclável
  • Prefira sacolas sustentáveis as de plástico
  • Utilize menos embalagens plásticas
  • Prefira copos e/ou xícaras de vidro e/ou porcelana do que as de plástico.
  • Não descarte qualquer tipo de lixo em via, rio, mar ou solo

Vejam nas imagens a seguir o que podemos causar com o simples ato de não cuidar corretamente do nosso lixo.

2015 É O ANO INTERNACIONAL DOS SOLOS. VAMOS AJUDAR A CUIDAR DELES?

solo

A ONU (Organização das Nações Unidas) escolheu os solos como tema do ano. A preocupação não é à toa. São necessários mais de mil anos para formar dois centímetros de solo superficial, como mostra reportagem do site Planeta Sustentável. Assim, o que é destruído hoje só renascerá daqui a muitas e muitas gerações.

Com a iniciativa, a ONU deseja chamar atenção para a riqueza e a fragilidade desse recurso, além de mobilizar a população. Hoje, 33% das terras do planeta estão degradadas, por razões físicas, químicas ou biológicas, estima a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Na esteira da preocupação com os solos, este ano cientistas de todo o mundo se reunirão, em Dijon, na França, para a primeira Conferência Global sobre Biodiversidade dos Solos. Logo em seguida, será lançado o primeiro Relatório Estado dos Recursos do Solo Mundiais.

Aproveite para conhecer 4 características dos solos saudáveis:

1) É deles que surge a vegetação, cultivada ou manejada para alimentação, fibra, combustível e produtos medicinais;
2) São a base da produção de alimentos;
3) Armazenam e filtram água, amenizando enchentes e secas;
4) São um recurso não renovável, o que torna sua preservação essencial.

Anote na agenda: em 2014, o dia 5 de dezembro se tornou oficialmente o Dia Mundial do Solo, uma data importante no calendário ecológico. Confira a seguir um vídeo sobre a necessidade de cuidar do que ainda resta e garantir um futuro verde para os nossos descendentes:

Fonte: blogdaseguros.com.br

Fazer xixi no banho ajuda a melhorar o meio ambiente

Você faz xixi no banho? Se ficou com carinha de nojo, pode parar com isso o papo é bem sério. A ONG SOS Mata Atlântica, no intuito de promover a economia de água e a sustentabilidade do planeta, lançou uma enquete no mínimo curiosa. Ao acessar o site www.xixinobanho.org.br, o internauta responde, de cara, a pergunta que não quer calar: você faz xixi no banho? Na data de realização desta matéria, 76% das pessoas, na intimidade de seus computadores, admitiram aliviar-se nas quentes águas do chuveiro.

O site, que incentiva a prática do xixi no chuveiro, garante que o ato não é nada de nojento. Segundo a ONG, o xixi é composto por 95% de água, sendo que os demais 5% possuem substâncias como uréia e sal.

Fazendo xixi no banho, cada pessoa economiza pelo menos uma descarga por dia, e vale lembrar que as descargas se utilizam do reservatório de água potável das cidades. O xixi no banho, portanto, economiza água potável.

O site traz ainda algumas outras informações interessantes, como o fato de que, na região sudeste, 80% da água que uma pessoa gasta durante o dia é dentro do banheiro (na pia, no chuveiro e no vaso sanitário).

Mais que uma divertida curiosidade, a enquete propõe uma reflexão sobre o desperdício de água no dia-a-dia e sobre como pequenos atos podem ajudar todo mundo a viver no tão desejado mundo melhor.

 

O que mais você pode fazer?
– Em vez de lavar a calçada, varra e recolha a sujeira
– Na hora de lavar a louça, abra a torneira apenas para enxaguar
– Evite deixar a porta da geladeira aberta
– No banho, quando for se ensaboar, tente manter o chuveiro fechado
Fonte: SOS Mata Atlantica

8 de Agosto – Dia Nacional de Combate ao Colesterol

08_CombateColesterol

O colesterol elevado é considerado a principal causa de infarto agudo do miocárdio e de acidente vascular cerebral (derrame) isquêmico. Ambos se enquadram no grupo de doenças cerebrovasculares e são os que mais matam no Brasil e no mundo. Por isso, no “Dia Nacional de Combate ao Colesterol”.

O colesterol é um tipo de gordura presente em grande parte dos alimentos. Ele se divide em dois tipos. O LDL, mau colesterol, é absorvido pelos vasos sanguíneos e gera a placa de gordura que causa obstrução. O HDL, ou bom colesterol, retira o colesterol ruim da parede do vaso e o leva para o fígado, onde é metabolizado.

12345

A falta de controle sobre os fatores de risco é uma atitude propícia para o acúmulo do mau colesterol nas artérias e veias de qualquer parte do corpo. A melhor maneira de prevenir o problema é evitar os fatores de risco. Os principais são: alimentação inadequada e o sedentarismo, mas há outros, como tabagismo, álcool, obesidade e o fator emocional (estresse).

As dicas incluem ainda a realização de atividade física regularmente, pelo menos três vezes por semana, por no mínimo 30 minutos – já que o sedentarismo reduz o LDL, o colesterol ruim. Os exercícios devem ser aeróbicos, tais como andar, correr, pedalar, nadar, porque proporcionam o aumento da captação de oxigênio pelo organismo.

Em relação à alimentação, é importante reduzir a ingestão de gorduras, sal e açúcar. As doenças cardiovasculares estão acometendo mais jovens atualmente. Se a pessoa tiver antecedente na família de doenças cardiovasculares, o indicado é começar o tratamento na infância e continuar ao longo da vida.

Fonte: www.portal.saude.gov.br

9 dicas para economizar energia com o ar-condicionado

Os aparelhos de ar-condicionado representam até 5% da conta de luz de uma casa. Apesar do conforto térmico proporcionado, é importante ficar atento à manutenção e formas de uso para não fazer dele um vilão do desperdício.


1. Ambiente fechado:
é importante evitar a entrada de ar externo no local que está sendo refrigerado, para não “forçar” o aparelho. Por isso, mantenha portas e janelas fechadas;

2. Limpeza: mantenha os filtros em dia. A sujeira impede a livre circulação do ar e força o aparelho a trabalhar mais;

3. Temperatura agradável: o conforto térmico é uma combinação de temperatura e umidade, por isso nem sempre o frio máximo é a melhor solução. Regule o termostato adequadamente;

4. Use com consciência: mantenha o ar-condicionado sempre desligado quando você se ausentar do ambiente por muito tempo;

5. Aparelhos no ambiente: lâmpadas e equipamentos eletrônicos em geral, como monitores de computador, emitem calor e demandam mais do ar-condicionado. Por isso, não os deixe ligados desnecessariamente;

6. Frio natural: no inverno, desligue a refrigeração do ar-condicionado e ligue só o ventilador;

7. Escolha certa: na hora de comprar um aparelho novo confira se ele possui o selo PROCEL de consumo reduzido e dê preferência aos modelos que possuam recursos como o timer, com o qual o aparelho é programado e desliga sozinho;

8. Localização: não deixe o aparelho em lugares quentes, próximo de equipamentos elétricos ou na incidência do sol. Isso o faz trabalhar mais, desnecessariamente. Também é importante deixar o ar circular livremente. Por isso, evite colocá-lo próximo a cortinas, divisórias, móveis e em cantos de parede.

9. Instalação: o ideal é instalar o aparelho de forma que o fluxo de ar fique paralelo à maior dimensão do ambiente, para que circule da melhor forma possível. Ele também deve ser instalado em uma altura em que o “vento” não incomode as pessoas do ambiente – ou seja, quanto mais alto melhor, até porque a tendência é que o ar frio desça e o ar quente suba. Já a parte externa não deve estar voltada para ambientes fechados como garagens e forros.

Fonte: Blog da Seguros

Dois anos após crise de energia nuclear, o Japão inaugura sua maior usina solar

A Kyocera, empresa japonesa de eletrônicos, inaugurou neste mês a maior usina solar do país asiático. A instalação pode fornecer energia para 22.000 lares – e, o que deve ser o mais importante, ela não corre o risco de derreter, ferir trabalhadores ou espalhar água radioativa no Oceano Pacífico.

A usina tem um nome bem imponente – Mega Usina de Energia Solar Kagoshima Nanatsujima – e localiza-se em uma enseada no extremo sul do Japão, o que significa que é bastante segura mesmo em maeçaas de tempestades e tsunamis – embora esteja nas sombras de Sakurajima, um vulcão ativo. Mas não importa o que aconteça ao longo das próximas décadas, Nanatsujima não representa quase nenhuma ameaça para as comunidades próximas.

O desastre de Fukushima não é o único fator favorecendo a expansão da produção de energia solar no Japão. O país instituiu um programa de grande escala para encorajar a construção de novas usinas – e, mais importante de tudo, incentivar consumidores a escolherem energia solar no lugar de formas mais tradicionais de energia.

Esta política, que começou em 2012, é chamada “tarifa de energia”. Em sua essência, ela subsidia o alto custo da energia solar em relação a outras fontes – oferecendo pagamentos a proprietários de usinas solares para cobrir parte dos seus custos. Como o Washington Post explicou em junho, o sistema de energia solar do Japão deve dobrar em tamanho neste ano graças à “explosão” das usinas:

A tarifa de energia é um legado de Naoto Kan, o impopular primeiro ministro japonês da época do desastre de Fukushima, que decidiu após os vazamentos que a energia atômica era perigosa demais para um país com tanta possibilidade de terremotos. Então, Kan fez um acordo com o partido de oposição: ele renunciaria após o parlamento cooperar na aprovação de algumas medidas legislativas, incluindo um projeto de lei de energia renovável que estabeleceu a tarifa.

Em resumo, Kan sacrificou sua carreira política em troca de um acordo para encorajar o uso de energia solar no país. Dois anos depois, parece que ele acertou ao fazer isso.

Fonte: www.grupogeia.com.br